quinta-feira, 23 de maio de 2013

CONSLEHO MUNICIPAL DE SAÚDE HOMOLOGA MOÇÃO DO CGS/CEREST EM SOLIDARIEDADE AOS SERVIDORES MUNICIPAIS EM GREVE

 
O CONSELHO GESTOR DO CENTRO ESPECIALIZADO EM SAÚDE DO TRABALHADORLL , APROVOU POR UNANIMIDADE DOS SEUS MEMBROS MOÇÃO DE SOLIDARIEDADE AOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE PETROLINA EM GREVE HÁ MAIS DE 15 DIAS.
]
 
















































NO ULTIMO DIA 17, O CGS/CEREST, APROVOU POU UNANIMIDADE DE SEUS CONSELHEIROS UMA MOÇÃO DE APOIO AOS SERVIDORES MUNICIPAIS EM GREVE, HOJE A MESMA MOÇÃO TRAMITOU NO PLENÁRIO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE QUE HOMOLOGOU A RESOLUÇÃO DE SOLIDARIEDADE POR UNANIMIDADE DOS CONSELHEIROS PRESENTES. DURANTE A SESSÃO FOI EMPOSSADA A NOVA PRESIDENTE DO CONSELHO. A USUÁRIA DO SUS EUNICE NUNES DE AMORIM EX-PRESIDENTA DO SINDICATO DOS COMÉRCIÁRIOS DE PETROLINA. OS DETALHES INFORMAREMOS NA PRÓXIMA POSTÁGEM.

 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

CONSELHO GESTOR DO CEREST PETROLINA VAI DEBATER POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS NO SUS E A PROBLEMÁTICA DO AGROTÓXICO EM PETROLINA E REGIÃO



COM O OBJETIVO DE SUBSIDIAR AS DECISÕES DO CGS/CEREST  EM TORNO DA SAÚDE DO TRABALHADOR EM PETROLINA E REGIÃO O PLENÁRIO DO CONSELHO VAI SE REUNIR NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA 17/05/2013, APARTIR DAS 8H00.

 O PLENÁRIO DO CONSELHO GESTOR DE SAÚDE DO CEREST, VAI DEBATER TEMAS IMPORTANTES COMO RECURSOS HUMANOS E A PROBLEMÁTICA DO AGROTÓXICO EM PETROLINA E REGIÃO.

PARA CONTRIBUIR NO DEBATE RELACIONADO AOS PONTOS DA PAUTA, VAMOS CONTAR COM AS PARTICIPAÇÕES DO MÉDICO ARISTÓTELES CARDONA, MÉDICO DA FAMÍLIA E COMUNIDADE E DIRETOR DO SINDICATO DOS MÉDICOS DE PERNAMBUCO, QUE VAI DESCORRER SOBRE A PROBLEMÁTICA DO AGROTÓXICO EM PETROLINA E REGIÃO E DO PROFESSOR DE PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO, HERLON BEZERRA DO IF/SERTÃO, QUE VAI DESCORRER SOBRE A POLÍTICA DE RH/SUS ALEM JUNTAMENTE COM O ODONTÓLOGO, CONSELHEIRO MUNICIPAL DE SAÚDE E VICE-PRESIDENTE DO SINDSEMP FRANCISCO WALBER LINS PINEIRO . SOBRE A  IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO DO CEREST 2013/2014, VAI FICAR A CARGO DA RELATORIA DA COMISSÃO DO PLANO DE AÇÃO DO CEREST,  REPRESENTADA PELO CONSELHEIRO JOSÉ WILSON ALENCAR, INFORMOU ROSALVO ANTONIO, COORDENADOR DO CGS/CEREST.
  
ROSALVO INFORMOU AINDA QUE ALÉM DOS CONSELHEIROS DO CGS/CEREST, STÃO SENDO CONVIDADOS OS CONSELHOS INTERSETORIAIS E A COMUNIDADE INTERESSADA EM DEBATER OS TEMAS EM PAUTA.
 
OS DEBATES VISAM SUBSIDIAR AS DELIBERAÇÕES DO CONSELHO GESTOR DE SAÚDE DO CEREST EM RELAÇÃO A POLÍTICA DE SAÚDE DO TRABALHADOR PARA PETROLINA E REGIÃO,

domingo, 12 de maio de 2013

a voz do rádio Carlos Augusto, Rosalvo Antonio e João Dicarvalho avi

http://youtu.be/UNPReLHcDC8A VOZ DO RÁDIOhttp://youtu.be/UNPReLHcDC8

A VOZ DO RÁDIO
Carlos Augusto/ Rosalvo Antônio/João diCarvalho


ACODO BEM CEDINHO

E LIGO LOGO O RÁDIO

A BARRA CLAREANDO

E O POVO ANTENADO

LOCUTOR TRAZ O BOM DIA

COM MUITO PRAZER

A VOZ DO RÁDIO EM SINTONIA COM VOCê

SE A NOTÍCIA É BOA

O POVO SE ANIMA

SE TEM FORRÓ DO BOM

TEM QUE TER MENINA

JECANA E VAQUEJADA

EU TÔ CHEGANDO LÁ

NO FORRÓ DO POEIRÃO

O MELHOR FORRÓ QUE HÁ

UMA CHUVA DE PAPEL

É NOTÍCIA DO POVÃO

CASAMENTO E BATIZADO

CORRIGA DE MOURÃO

O TELEFONE TOCA

ATENDA SEU LOCUTOR

DE TODO CANTO

TEM GENTE MANDANDO ALÔ

EITA!

MAIS LOCULTOR TEM CONRAÇÃO

VEJA!

O QUE ELE VIVE MEU IRMÃO

SE ALEGRA QUANDO NASCE GENTE

FAZ DA VIDA UM REPENTE

MAS CHORA QUANDO MORRE UM IRMÃO

A VOZ DO RÁDIO

http://youtu.be/UNPReLHcDC8

A VOZ DO RÁDIO
Carlos Augusto/ Rosalvo Antônio/João diCarvalho


ACODO BEM CEDINHO

E LIGO LOGO O RÁDIO

A BARRA CLAREANDO

E O POVO ANTENADO

LOCUTOR TRAZ O BOM DIA

COM MUITO PRAZER

A VOZ DO RÁDIO EM SINTONIA COM VOCê

SE A NOTÍCIA É BOA

O POVO SE ANIMA

SE TEM FORRÓ DO BOM

TEM QUE TER MENINA

JECANA E VAQUEJADA

EU TÔ CHEGANDO LÁ

NO FORRÓ DO POEIRÃO

O MELHOR FORRÓ QUE HÁ

UMA CHUVA DE PAPEL

É NOTÍCIA DO POVÃO

CASAMENTO E BATIZADO

CORRIGA DE MOURÃO

O TELEFONE TOCA

ATENDA SEU LOCUTOR

DE TODO CANTO

TEM GENTE MANDANDO ALÔ

EITA!

MAIS LOCULTOR TEM CONRAÇÃO

VEJA!

 O QUE ELE VIVE MEU IRMÃO

SE ALEGRA QUANDO NASCE GENTE

FAZ DA VIDA UM REPENTE

MAS CHORA QUANDO MORRE UM IRMÃO

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Dirigente do Psol em Petrolina questiona privatizações de Lóssio

http://am730.com.br/dirigente-do-psol-em-petrolina-questiona-privatizacoes-de-lossio/

Dirigente do Psol em Petrolina questiona privatizações de Lóssio

Foto: Marcizo Ventura
Foto: Marcizo Ventura
Em entrevista nesta terça-feira, 12, o socialista Rosalvo Antonio (PSOL) voltou a fazer duras críticas ao prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB) quanto ” à condução ideológica do governo e à clara condução da gestão municipal em direção à privatização de tudo”, disse durante o programa matinal Tribuna do Povo.
Rosalvo disse sobre a privatização não apenas da água e que, “as creches da Nova Semente tem um formato de caráter privativo, desmantelando a rede pública que atende esta política, substituindo-a por improvisações junto ao PETRAPE, entidade com fins de inclusão social , bem como buscando nas comunidades recurso para garantir aluguel de prédios e casas e compra de equipamentos”, denunciou.
Sobre a saúde pública, Rosalvo que é liderança em Petrolina, do PSOL, reiterou o que “disse em campanha eleitoral passada sobre o esvaziamento nos postos médicos, ausência de médicos e dentistas, escassez de medicamentos e sucateamento geral da infraestrutura, comprometendo atendimento às classes pobres”, enumerou.
Rosalvo também ressaltou a força da Rádio a Voz do São Francisco Am “pela postura de isenção diante dos acontecimentos e seu jornalismo sem restrição, dando contribuição social nos debates sobre Petrolina, uma cidade que pede com urgência medidas inclusivas e justas”, enalteceu.
Rosalvo Antonio disputou o último pleito eleitoral como candidato a prefeito de Petrolina, obtendo apenas quase 2 por cento dos votos válidos, ficando numa última colocação, onde 4 candidatos, incluindo o próprio, se apresentaram ao posto oficialmente. Júlio Lossio, também concorreu e foi reeleito no embate com 45,5 por cento dos votos contabilizados.
Por Marcelo Damasceno,

Central de Jornalismo da Voz do São Francisco.

ENQUANTO OS MORTOS RECEBEM SALÁRIOS OS SERVIDORES VIVOS PENAM

PROPOSTA DE LÓSSIO É REGEITADA POR SERVIDORES MUNICIPAIS DE PETROLINA

SERVIDORES AMARGAM DEFASAGEM SALARIAL E  ENTRARAM EM GREVE APARTIR DE ONTEM 08 DE MAIO.

VEJA PROPOSTA INDESCENTE DO PREFEITO LÓSSIO PARA OS SERVIDORES MUNICIPAIS, DEPOIS DE TEREM REAJUSTADOS OS SEUS SALÁRIO E DE SEUS ASSESSORES EM 83% , 85% E DOS VEREADORES EM 100%,

ENQUANTO ISSO, OS SERVIDORES ESTÃO SEM REAJUSTE DESDE JANEIRO, QUEM EM FUNÇÃO DO REAJUSTE NACIONAL JÁ SUBIRAM  OS PREÇOS DE TODOS OS PRODUTOS, SERVIÇOS E TRANSPORTE PÚBLICO, MENOS OS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS E PETROLINA-PE.

OUTRO PONTO DE REIVINDIÇÃO A A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO, NA SAÚDE HÁ UM VERDADEIRO  DESMONTE DO SUS E O POVO PENA EM BUSCA DE ASSISTÊNCIA


Os servidores municipais de Petrolina continuarão em greve por tempo indeterminado. De acordo com o Sindsemp, o sindicato da categoria, a contraproposta apresentada pela prefeitura na manhã de hoje (8) não contempla uma parte dos trabalhadores e ainda exclui algumas gratificações, como o pó de giz dos professores.
 
Segundo a presidente do Sindicato, Léia Araújo, a proposta do Executivo é criar a Gratificação Especial de Regência de Classe (GERC) para os servidores do Magistério. “A prefeitura propõe a criação desse novo benefício, mas exclui o pó de giz. A mudança traz prejuízo para os professores”, explica.
 
De acordo com uma nota divulgada pela assessoria de comunicação da prefeitura, o Executivo ainda propôs o reajuste salarial de modo que todas as secretarias fossem contempladas e o salário-base fosse igualado ao salário mínimo. No entanto, segundo Léia, nem todos os trabalhadores seriam beneficiados com esse aumento.
 
De todas as propostas, apenas a que redefine a data-base para reajuste dos servidores foi aceita pela categoria. A partir de 2014, o mês de janeiro será a referência para o aumento.
 
Na próxima sexta-feira (10), os servidores irão até a Câmara de Vereadores, às 9h, para discutir as principais reinvindicações da categoria e fazer uma avaliação do movimento. “hoje (9), a mobilização ocorrerá nas mídias, nos veículos de comunicação, desde rádio à internet. Queremos convocar os outros colegas e esclarecer os principais pontos de nossa pauta. Na sexta, iremos até à Câmara conversar com os vereadores de oposição e situação”, informa Léia.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Debate politico reúne militância: Os desafios do PSOL

Debate politico reúne militância: Os desafios do PSOL
“Agora se exige do PSOL algo mais”, vaticinou Chico Alencar no debate que reuniu, ontem (25/04), a militância em torno da tese “Para o PSOL continuar necessário”. Na mesa-redonda, para discutir os desafios e o futuro do partido, os vereadores Eliomar Coelho e Henrique Vieira, o deputado estadual Marcelo Freixo e deputado federal Chico Alencar, que apresentará o documento no IV Congresso do PSOL.
“O PSOL tem que ser diferente. É um partido de aposta que precisa manter a chama da utopia denunciando a distopia”, afirmou Chico Alencar na abertura do debate realizado no sede do Sinpro. “Temos que construir alternativas com a coragem de aposentar certos dogmas. Somos uma força incipiente que precisa se transformar em partido de quadro, partido amplo de massa”, acrescentou.
“O PSOL trouxe a militância de volta à política. É um partido com qualidade e potencial para crescer e trabalhar a produção de políticas coletivamente”, afirmou Eliomar Coelho.
Eliomar destacou a importância do PSOL no momento em a cidade se tornou um laboratório de intervenções pontuais. “A ausência de planejamento faz parte do modelo de cidade imposto pela prefeitura e governo do estado”. “Observamos uma remoção branca, a cidade mercantilizada e elitizada. Há o inverso da mobilidade social com a precarização da vida do carioca”, disse.
“Qual é o nosso papel?”, perguntou Marcelo Freixo. “O PSOL não pode continuar sendo um grupo de competentes parlamentares. Temos que nos aproximar das lutas concretas. Os mandatos do PSOL devem ser um instrumento de fortalecimento das lutas do dia-a-dia”.
“Hoje temos 2,1 milhões de empregos mas 94% dos trabalhadores ganham menos de dois salários. Houve a entrada no mercado de consumo mas a saúde, a educação, o transporte e a moradia são negados à sociedade”, pontuou Freixo.
“Metade da renda da impropriamente chamada ‘nova classe média’ (ou, mais inadequadamente ainda, ‘classe C’) é gasta com educação e saúde, o que revela que essas políticas universais e efetivamente distributivas não prosperaram como deviam.”, assinala o documento do PSOL que apresenta um programa básico do partido com 12 ítens.
“Uma boa questão: em que medida a própria rejeição à democracia representativa e seus instrumentos está abrindo a possibilidade de se gestar novas formas de governar? Onde estão sendo buscados/construídos “quem nos represente”, já que quase todos “não nos representam”?”, provoca o documento. Leia a tese na íntegra.
Foto de Cícero Rodrigues.

Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas!

Cara comunidade da Avaaz,

Conseguimos -- a Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas! Grandes empresas como a Bayer lutaram com toda força contra a proposta, mas o poder popular, a ciência e a boa governança foi mais forte!!

Morte das abelhas na Alemanha
Abelhas "morrem" em frente à sede da Bayer em Colônia, na Alemanha
Vanessa Amaral-Rogers, da organização especializada em conservação, Buglife, disse:
"Foi um voto apertado, mas graças à enorme mobilização dos membros da Avaaz, criadores de abelhas e outros grupos, nós vencemos! Não tenho dúvidas sobre o quanto as enchentes de telefonemas e emails enviados aos ministérios, as ações presenciais em Londres (Reino Unido), Bruxelas (Bélgica) e em Colônia (Alemanha), e a gigante petição com 2.6 milhões de assinaturas foram responsáveis por esse resultado. Obrigado Avaaz e a todos que trabalharam tão arduamente para salvar as abelhas!"
As abelhas são responsáveis por polinizar ⅔ de todos os nossos alimentos. Por isso, quando os cientistas começaram a notar que, silenciosamente, as abelhas morriam em proporções aterrorizantes, a Avaaz entrou com tudo, e não parou até alcançar uma vitória. A vitória dessa semana é fruto de dois anos de campanhas que começaram com o envio de mensagens para ministros de governos, organização de protestos para chamar a atenção da mídia junto com criadores de abelhas, comissionamento de pesquisas de opinião e muito, muito mais. Foi assim que fizemos, juntos:
  • Assegurando a posição da França. Em janeiro de 2011, 1 milhão de pessoas assinaram nosso pedido para a França fazer valer a lei sobre o banimento de pesticidas neonicotinoides mortais. Membros da Avaaz participaram, junto com criadores de abelhas, de uma reunião com o Ministro da Agricultura francês, irradiando força e pressionando-o para que ele não se intimidasse pelo lobby da indústria e mantivesse a proibição aos pesticidas, assim enviando um forte sinal para outros países europeus.

  • Bernie em Bruxelas
    Bernie, a abelha gigante infável, ajudou na entrega de nossa petição com 2.6 mihões de assinaturas em Bruxelas
  • Cara à cara com a indústria. Bayer viu a Avaaz e seus aliados protestarem ferozmente nos últimos 3 encontros anuais da empresa. Os gerentes e investidores da gigante produtora de pesticidas foram recebidos pelos criadores de abelhas, que faziam bastante barulho e carregavam banners enormes mostrando nossa petição de mais de 1 milhão de assinaturas; a petição exigia a suspensão do uso dos neonicotinoides até que os seus efeitos na natureza fossem avaliados pelos cientistas. A Avaaz até mesmo fez uma apresentação dentro do encontro dos investidores, mas a Bayer insistiu no 'não'.

  • Destacando a importância da ciência. Em janeiro de 2013, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos descobriu três pesticidas que colocavam as abelhas em risco. Foi aí que entramos novamente, buscando garantir que os políticos europeus respondessem ao apelo dos cientistas. Nossa petição cresceu rapidamente e chegou a 2 milhões de assinaturas. Após várias conversas com tomadores de decisão da União Europeia, a Avaaz entregou as nossas vozes à sede da UE em Bruxelas. Logo depois, naquele mesmo dia, a Comissão Europeia propôs uma proibição de 2 anos aos pesticidas!

  • Marcha dos criadores de abelha
    Criadores de abelhas ajudam a entregar nossa enorme petição em Downing Street, Londres
  • Aproveitando a oportunidade. A batalha para salvar as abelhas pegou fogo nos meses de fevereiro e março. Em toda União Europeia, membros da Avaaz estavam prontos para dar uma resposta enquanto os 27 membros da UE decidiam se aceitariam ou não a proposta de proibição dos pesticidas. Quando grandes países agricultores como Reino Unido e Alemanha disseram 'não', a Avaaz conduziu pesquisas de opinião pública que mostraram que a maioria dos britânicos e dos alemães eram a favor da proposta de proibição. Além disso, membros da Avaaz enviaram meio milhão de emails para os Ministros da Agricultura dos países do bloco europeu. Aparentemente temendo mais os cidadãos do que o lobby da indústria, o ministro do Reino Unido, Owen Paterson, queixou-se de um "ciber-ataque", algo que os jornalistas trataram como uma história a nosso favor! E então veio o Bernie, nossa abelha inflável de 6 metros de altura situada em Bruxelas. Uma forma bem criativa de entregar a petição, enquanto as negociações chegavam na reta final. Os jornalistas cercavam o Bernie, e descobrimos que nossa atuação ajudou a garantir que o ministro espanhol olhasse com mais atenção para a ciência e mudasse o seu posicionamento acerca do tema para proteger as abelhas. Mas nesse dia não conseguimos a maioria necessária para assegurar a proibição.

  • Bernie no The Independent
    Bernie ganha destaque no jornal britânico The Independent
  • Do alerta vermelho para o sinal verde. Em abril, a proposta que poderia salvar as abelhas é enviada ao Comitê de Recursos, dando-nos um raio de esperança se finalmente conseguíssemos trazer mais alguns países-membros para o nosso lado. Na reta final, a Avaaz junta-se à outros grupos como a Environmental Justice Foundation, Amigos da Terra e a Pesticides Action Network, além dos criadores de abelha e estilistas famosas, para organizar uma ação do lado de fora do Parlamento do Reuno Unido. Na Alemanha, os criadores de abelha lançam sua própria petição no site da Avaaz direcionada ao governo, e 150.000 cidadãos alemães juntam-se à campanha em apenas dois dias; pouco depois as assinaturas são entregues em Colônia. Mais telefonemas são feitos para os gabinetes de ministros em diferentes capitais europeias, enquanto a Avaaz respondia a uma emenda destruidora feita pela Hungria no acordo de proibição e posicionava Bernie, a abelha, novamente em uma ação em Bruxelas. As empresas de pesticidas compraram espaços de publicidade no aeroporto de Bruxelas para chamar a atenção das comitivas diplomáticas, e aumentaram a pressão sugerindo propostas como a plantação de flores selvagens. Mas a máquina de propaganda deles é ignorada. Primeiro foi a Bulgária que mudou de posição. Depois, veio a grande vitória: a Alemanha muda de ideia a favor das abelhas e carimba nossa vitória. Mais da metade dos países da União Europeia votaram pela proibição dos pesticidas!
Conseguir essa vitória foi um processo longo, e isso não seria possível se não fosse a participação dos cientistas, especialistas, oficiais de governo, criadores de abelha e todos os nossos parceiros de campanha. Podemos ficar orgulhosos do que conseguimos fazer juntos!

Forte defensor das abelhas, Paul de Zylva, chefe da Unidade de Polinização e Pesticida da organização Amigos da Terra, disse:
"Obrigado aos milhões de membros da Avaaz que se mobilizaram online e nas ruas. Sem dúvida, a enorme petição e as campanhas criativas da Avaaz ajudaram a pressionar pela proibição dos pesticidas, complementando o nosso trabalho e o de outras ONGs."
Chegou a hora de festejar a conquista desse espaço para uma das criaturas mais importantes e preciosas de nosso planeta. Entretanto, a proibição da UE durará apenas dois anos até ser revisada. E, ao redor do mundo, as abelhas continuam a morrer por causa dos pesticidas que as enfraquecem e deixam-nas confusas, além da perda de seu habitat natural causada pela expansão das cidades. Na Europa, e ao redor do mundo, há ainda muito o que fazer para garantir que a ciência seja a condutora das nossas políticas agrícolas e ambientais. E somos a comunidade perfeita para tornar isso realidade. :)

Com esperança e alegria,

Ricken, Iain, Joseph, Emily, Alex, Michelle, Aldine, Julien, Anne, Christoph e toda a equipe da Avaaz

PS: Vamos continuar nossa luta -- ajude-nos a lançar campanhas rápidas e de impacto sobre questões que são importantes para todos nós: https://secure.avaaz.org/po/bees_victory/?byoYAbb&v=24680

PPS: Muitas das campanhas da Avaaz, como a campanha criada por um criador de abelhas alemão, foram iniciadas por indivíduos ou grupos de indivíduos. Clique aqui para descobrir como começar sua própria campanha: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?rba13

FONTES

A campanha das abelhas, e o papel da Avaaz nesse processo, foi mencionada em centenas de artigos. Aqui estão alguns deles:

UE proibirá três pesticidas mortais para abelhas por dois anos (R7)
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/ue-proibira-tres-pesticidas-mortais-para-abelhas-por-dois-anos-20130429.html

UE proíbe três pesticidas que matam as abelhas (Euronews)
http://pt.euronews.com/2013/04/29/ue-proibe-tres-pesticidas-que-matam-as-abelhas/

Estilistas britânicos fazem campanha para salvar abelhas (Último Segundo)
http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/2013-04-26/estilistas-britanicos-fazem-campanha-para-salvar-abelhas.html

Proibição de pesticidas procura acabar com massacre das abelhas (PressEurop)
http://www.presseurop.eu/pt/content/article/3735851-proibicao-de-pesticidas-procura-acabar-com-massacre-das-abelhas

Votacão histórica pela proibição dos pesticidas neonicotinoides causadores do declínio das populações de abelhas (em inglês) (The Independent)
http://www.independent.co.uk/news/uk/politics/historic-vote-to-ban-neonicotinoid-pesticides-blamed-for-huge-decline-in-bees-8591807.html

Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas!

Cara comunidade da Avaaz,

Conseguimos -- a Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas! Grandes empresas como a Bayer lutaram com toda força contra a proposta, mas o poder popular, a ciência e a boa governança foi mais forte!!

Morte das abelhas na Alemanha
Abelhas "morrem" em frente à sede da Bayer em Colônia, na Alemanha
Vanessa Amaral-Rogers, da organização especializada em conservação, Buglife, disse:
"Foi um voto apertado, mas graças à enorme mobilização dos membros da Avaaz, criadores de abelhas e outros grupos, nós vencemos! Não tenho dúvidas sobre o quanto as enchentes de telefonemas e emails enviados aos ministérios, as ações presenciais em Londres (Reino Unido), Bruxelas (Bélgica) e em Colônia (Alemanha), e a gigante petição com 2.6 milhões de assinaturas foram responsáveis por esse resultado. Obrigado Avaaz e a todos que trabalharam tão arduamente para salvar as abelhas!"
As abelhas são responsáveis por polinizar ⅔ de todos os nossos alimentos. Por isso, quando os cientistas começaram a notar que, silenciosamente, as abelhas morriam em proporções aterrorizantes, a Avaaz entrou com tudo, e não parou até alcançar uma vitória. A vitória dessa semana é fruto de dois anos de campanhas que começaram com o envio de mensagens para ministros de governos, organização de protestos para chamar a atenção da mídia junto com criadores de abelhas, comissionamento de pesquisas de opinião e muito, muito mais. Foi assim que fizemos, juntos:
  • Assegurando a posição da França. Em janeiro de 2011, 1 milhão de pessoas assinaram nosso pedido para a França fazer valer a lei sobre o banimento de pesticidas neonicotinoides mortais. Membros da Avaaz participaram, junto com criadores de abelhas, de uma reunião com o Ministro da Agricultura francês, irradiando força e pressionando-o para que ele não se intimidasse pelo lobby da indústria e mantivesse a proibição aos pesticidas, assim enviando um forte sinal para outros países europeus.

  • Bernie em Bruxelas
    Bernie, a abelha gigante infável, ajudou na entrega de nossa petição com 2.6 mihões de assinaturas em Bruxelas
  • Cara à cara com a indústria. Bayer viu a Avaaz e seus aliados protestarem ferozmente nos últimos 3 encontros anuais da empresa. Os gerentes e investidores da gigante produtora de pesticidas foram recebidos pelos criadores de abelhas, que faziam bastante barulho e carregavam banners enormes mostrando nossa petição de mais de 1 milhão de assinaturas; a petição exigia a suspensão do uso dos neonicotinoides até que os seus efeitos na natureza fossem avaliados pelos cientistas. A Avaaz até mesmo fez uma apresentação dentro do encontro dos investidores, mas a Bayer insistiu no 'não'.

  • Destacando a importância da ciência. Em janeiro de 2013, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos descobriu três pesticidas que colocavam as abelhas em risco. Foi aí que entramos novamente, buscando garantir que os políticos europeus respondessem ao apelo dos cientistas. Nossa petição cresceu rapidamente e chegou a 2 milhões de assinaturas. Após várias conversas com tomadores de decisão da União Europeia, a Avaaz entregou as nossas vozes à sede da UE em Bruxelas. Logo depois, naquele mesmo dia, a Comissão Europeia propôs uma proibição de 2 anos aos pesticidas!

  • Marcha dos criadores de abelha
    Criadores de abelhas ajudam a entregar nossa enorme petição em Downing Street, Londres
  • Aproveitando a oportunidade. A batalha para salvar as abelhas pegou fogo nos meses de fevereiro e março. Em toda União Europeia, membros da Avaaz estavam prontos para dar uma resposta enquanto os 27 membros da UE decidiam se aceitariam ou não a proposta de proibição dos pesticidas. Quando grandes países agricultores como Reino Unido e Alemanha disseram 'não', a Avaaz conduziu pesquisas de opinião pública que mostraram que a maioria dos britânicos e dos alemães eram a favor da proposta de proibição. Além disso, membros da Avaaz enviaram meio milhão de emails para os Ministros da Agricultura dos países do bloco europeu. Aparentemente temendo mais os cidadãos do que o lobby da indústria, o ministro do Reino Unido, Owen Paterson, queixou-se de um "ciber-ataque", algo que os jornalistas trataram como uma história a nosso favor! E então veio o Bernie, nossa abelha inflável de 6 metros de altura situada em Bruxelas. Uma forma bem criativa de entregar a petição, enquanto as negociações chegavam na reta final. Os jornalistas cercavam o Bernie, e descobrimos que nossa atuação ajudou a garantir que o ministro espanhol olhasse com mais atenção para a ciência e mudasse o seu posicionamento acerca do tema para proteger as abelhas. Mas nesse dia não conseguimos a maioria necessária para assegurar a proibição.

  • Bernie no The Independent
    Bernie ganha destaque no jornal britânico The Independent
  • Do alerta vermelho para o sinal verde. Em abril, a proposta que poderia salvar as abelhas é enviada ao Comitê de Recursos, dando-nos um raio de esperança se finalmente conseguíssemos trazer mais alguns países-membros para o nosso lado. Na reta final, a Avaaz junta-se à outros grupos como a Environmental Justice Foundation, Amigos da Terra e a Pesticides Action Network, além dos criadores de abelha e estilistas famosas, para organizar uma ação do lado de fora do Parlamento do Reuno Unido. Na Alemanha, os criadores de abelha lançam sua própria petição no site da Avaaz direcionada ao governo, e 150.000 cidadãos alemães juntam-se à campanha em apenas dois dias; pouco depois as assinaturas são entregues em Colônia. Mais telefonemas são feitos para os gabinetes de ministros em diferentes capitais europeias, enquanto a Avaaz respondia a uma emenda destruidora feita pela Hungria no acordo de proibição e posicionava Bernie, a abelha, novamente em uma ação em Bruxelas. As empresas de pesticidas compraram espaços de publicidade no aeroporto de Bruxelas para chamar a atenção das comitivas diplomáticas, e aumentaram a pressão sugerindo propostas como a plantação de flores selvagens. Mas a máquina de propaganda deles é ignorada. Primeiro foi a Bulgária que mudou de posição. Depois, veio a grande vitória: a Alemanha muda de ideia a favor das abelhas e carimba nossa vitória. Mais da metade dos países da União Europeia votaram pela proibição dos pesticidas!
Conseguir essa vitória foi um processo longo, e isso não seria possível se não fosse a participação dos cientistas, especialistas, oficiais de governo, criadores de abelha e todos os nossos parceiros de campanha. Podemos ficar orgulhosos do que conseguimos fazer juntos!

Forte defensor das abelhas, Paul de Zylva, chefe da Unidade de Polinização e Pesticida da organização Amigos da Terra, disse:
"Obrigado aos milhões de membros da Avaaz que se mobilizaram online e nas ruas. Sem dúvida, a enorme petição e as campanhas criativas da Avaaz ajudaram a pressionar pela proibição dos pesticidas, complementando o nosso trabalho e o de outras ONGs."
Chegou a hora de festejar a conquista desse espaço para uma das criaturas mais importantes e preciosas de nosso planeta. Entretanto, a proibição da UE durará apenas dois anos até ser revisada. E, ao redor do mundo, as abelhas continuam a morrer por causa dos pesticidas que as enfraquecem e deixam-nas confusas, além da perda de seu habitat natural causada pela expansão das cidades. Na Europa, e ao redor do mundo, há ainda muito o que fazer para garantir que a ciência seja a condutora das nossas políticas agrícolas e ambientais. E somos a comunidade perfeita para tornar isso realidade. :)

Com esperança e alegria,

Ricken, Iain, Joseph, Emily, Alex, Michelle, Aldine, Julien, Anne, Christoph e toda a equipe da Avaaz

PS: Vamos continuar nossa luta -- ajude-nos a lançar campanhas rápidas e de impacto sobre questões que são importantes para todos nós: https://secure.avaaz.org/po/bees_victory/?byoYAbb&v=24680

PPS: Muitas das campanhas da Avaaz, como a campanha criada por um criador de abelhas alemão, foram iniciadas por indivíduos ou grupos de indivíduos. Clique aqui para descobrir como começar sua própria campanha: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?rba13

FONTES

A campanha das abelhas, e o papel da Avaaz nesse processo, foi mencionada em centenas de artigos. Aqui estão alguns deles:

UE proibirá três pesticidas mortais para abelhas por dois anos (R7)
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/ue-proibira-tres-pesticidas-mortais-para-abelhas-por-dois-anos-20130429.html

UE proíbe três pesticidas que matam as abelhas (Euronews)
http://pt.euronews.com/2013/04/29/ue-proibe-tres-pesticidas-que-matam-as-abelhas/

Estilistas britânicos fazem campanha para salvar abelhas (Último Segundo)
http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/2013-04-26/estilistas-britanicos-fazem-campanha-para-salvar-abelhas.html

Proibição de pesticidas procura acabar com massacre das abelhas (PressEurop)
http://www.presseurop.eu/pt/content/article/3735851-proibicao-de-pesticidas-procura-acabar-com-massacre-das-abelhas

Votacão histórica pela proibição dos pesticidas neonicotinoides causadores do declínio das populações de abelhas (em inglês) (The Independent)
http://www.independent.co.uk/news/uk/politics/historic-vote-to-ban-neonicotinoid-pesticides-blamed-for-huge-decline-in-bees-8591807.html

Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas!

Cara comunidade da Avaaz,

Conseguimos -- a Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas! Grandes empresas como a Bayer lutaram com toda força contra a proposta, mas o poder popular, a ciência e a boa governança foi mais forte!!

Morte das abelhas na Alemanha
Abelhas "morrem" em frente à sede da Bayer em Colônia, na Alemanha
Vanessa Amaral-Rogers, da organização especializada em conservação, Buglife, disse:
"Foi um voto apertado, mas graças à enorme mobilização dos membros da Avaaz, criadores de abelhas e outros grupos, nós vencemos! Não tenho dúvidas sobre o quanto as enchentes de telefonemas e emails enviados aos ministérios, as ações presenciais em Londres (Reino Unido), Bruxelas (Bélgica) e em Colônia (Alemanha), e a gigante petição com 2.6 milhões de assinaturas foram responsáveis por esse resultado. Obrigado Avaaz e a todos que trabalharam tão arduamente para salvar as abelhas!"
As abelhas são responsáveis por polinizar ⅔ de todos os nossos alimentos. Por isso, quando os cientistas começaram a notar que, silenciosamente, as abelhas morriam em proporções aterrorizantes, a Avaaz entrou com tudo, e não parou até alcançar uma vitória. A vitória dessa semana é fruto de dois anos de campanhas que começaram com o envio de mensagens para ministros de governos, organização de protestos para chamar a atenção da mídia junto com criadores de abelhas, comissionamento de pesquisas de opinião e muito, muito mais. Foi assim que fizemos, juntos:
  • Assegurando a posição da França. Em janeiro de 2011, 1 milhão de pessoas assinaram nosso pedido para a França fazer valer a lei sobre o banimento de pesticidas neonicotinoides mortais. Membros da Avaaz participaram, junto com criadores de abelhas, de uma reunião com o Ministro da Agricultura francês, irradiando força e pressionando-o para que ele não se intimidasse pelo lobby da indústria e mantivesse a proibição aos pesticidas, assim enviando um forte sinal para outros países europeus.

  • Bernie em Bruxelas
    Bernie, a abelha gigante infável, ajudou na entrega de nossa petição com 2.6 mihões de assinaturas em Bruxelas
  • Cara à cara com a indústria. Bayer viu a Avaaz e seus aliados protestarem ferozmente nos últimos 3 encontros anuais da empresa. Os gerentes e investidores da gigante produtora de pesticidas foram recebidos pelos criadores de abelhas, que faziam bastante barulho e carregavam banners enormes mostrando nossa petição de mais de 1 milhão de assinaturas; a petição exigia a suspensão do uso dos neonicotinoides até que os seus efeitos na natureza fossem avaliados pelos cientistas. A Avaaz até mesmo fez uma apresentação dentro do encontro dos investidores, mas a Bayer insistiu no 'não'.

  • Destacando a importância da ciência. Em janeiro de 2013, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos descobriu três pesticidas que colocavam as abelhas em risco. Foi aí que entramos novamente, buscando garantir que os políticos europeus respondessem ao apelo dos cientistas. Nossa petição cresceu rapidamente e chegou a 2 milhões de assinaturas. Após várias conversas com tomadores de decisão da União Europeia, a Avaaz entregou as nossas vozes à sede da UE em Bruxelas. Logo depois, naquele mesmo dia, a Comissão Europeia propôs uma proibição de 2 anos aos pesticidas!

  • Marcha dos criadores de abelha
    Criadores de abelhas ajudam a entregar nossa enorme petição em Downing Street, Londres
  • Aproveitando a oportunidade. A batalha para salvar as abelhas pegou fogo nos meses de fevereiro e março. Em toda União Europeia, membros da Avaaz estavam prontos para dar uma resposta enquanto os 27 membros da UE decidiam se aceitariam ou não a proposta de proibição dos pesticidas. Quando grandes países agricultores como Reino Unido e Alemanha disseram 'não', a Avaaz conduziu pesquisas de opinião pública que mostraram que a maioria dos britânicos e dos alemães eram a favor da proposta de proibição. Além disso, membros da Avaaz enviaram meio milhão de emails para os Ministros da Agricultura dos países do bloco europeu. Aparentemente temendo mais os cidadãos do que o lobby da indústria, o ministro do Reino Unido, Owen Paterson, queixou-se de um "ciber-ataque", algo que os jornalistas trataram como uma história a nosso favor! E então veio o Bernie, nossa abelha inflável de 6 metros de altura situada em Bruxelas. Uma forma bem criativa de entregar a petição, enquanto as negociações chegavam na reta final. Os jornalistas cercavam o Bernie, e descobrimos que nossa atuação ajudou a garantir que o ministro espanhol olhasse com mais atenção para a ciência e mudasse o seu posicionamento acerca do tema para proteger as abelhas. Mas nesse dia não conseguimos a maioria necessária para assegurar a proibição.

  • Bernie no The Independent
    Bernie ganha destaque no jornal britânico The Independent
  • Do alerta vermelho para o sinal verde. Em abril, a proposta que poderia salvar as abelhas é enviada ao Comitê de Recursos, dando-nos um raio de esperança se finalmente conseguíssemos trazer mais alguns países-membros para o nosso lado. Na reta final, a Avaaz junta-se à outros grupos como a Environmental Justice Foundation, Amigos da Terra e a Pesticides Action Network, além dos criadores de abelha e estilistas famosas, para organizar uma ação do lado de fora do Parlamento do Reuno Unido. Na Alemanha, os criadores de abelha lançam sua própria petição no site da Avaaz direcionada ao governo, e 150.000 cidadãos alemães juntam-se à campanha em apenas dois dias; pouco depois as assinaturas são entregues em Colônia. Mais telefonemas são feitos para os gabinetes de ministros em diferentes capitais europeias, enquanto a Avaaz respondia a uma emenda destruidora feita pela Hungria no acordo de proibição e posicionava Bernie, a abelha, novamente em uma ação em Bruxelas. As empresas de pesticidas compraram espaços de publicidade no aeroporto de Bruxelas para chamar a atenção das comitivas diplomáticas, e aumentaram a pressão sugerindo propostas como a plantação de flores selvagens. Mas a máquina de propaganda deles é ignorada. Primeiro foi a Bulgária que mudou de posição. Depois, veio a grande vitória: a Alemanha muda de ideia a favor das abelhas e carimba nossa vitória. Mais da metade dos países da União Europeia votaram pela proibição dos pesticidas!
Conseguir essa vitória foi um processo longo, e isso não seria possível se não fosse a participação dos cientistas, especialistas, oficiais de governo, criadores de abelha e todos os nossos parceiros de campanha. Podemos ficar orgulhosos do que conseguimos fazer juntos!

Forte defensor das abelhas, Paul de Zylva, chefe da Unidade de Polinização e Pesticida da organização Amigos da Terra, disse:
"Obrigado aos milhões de membros da Avaaz que se mobilizaram online e nas ruas. Sem dúvida, a enorme petição e as campanhas criativas da Avaaz ajudaram a pressionar pela proibição dos pesticidas, complementando o nosso trabalho e o de outras ONGs."
Chegou a hora de festejar a conquista desse espaço para uma das criaturas mais importantes e preciosas de nosso planeta. Entretanto, a proibição da UE durará apenas dois anos até ser revisada. E, ao redor do mundo, as abelhas continuam a morrer por causa dos pesticidas que as enfraquecem e deixam-nas confusas, além da perda de seu habitat natural causada pela expansão das cidades. Na Europa, e ao redor do mundo, há ainda muito o que fazer para garantir que a ciência seja a condutora das nossas políticas agrícolas e ambientais. E somos a comunidade perfeita para tornar isso realidade. :)

Com esperança e alegria,

Ricken, Iain, Joseph, Emily, Alex, Michelle, Aldine, Julien, Anne, Christoph e toda a equipe da Avaaz

PS: Vamos continuar nossa luta -- ajude-nos a lançar campanhas rápidas e de impacto sobre questões que são importantes para todos nós: https://secure.avaaz.org/po/bees_victory/?byoYAbb&v=24680

PPS: Muitas das campanhas da Avaaz, como a campanha criada por um criador de abelhas alemão, foram iniciadas por indivíduos ou grupos de indivíduos. Clique aqui para descobrir como começar sua própria campanha: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?rba13

FONTES

A campanha das abelhas, e o papel da Avaaz nesse processo, foi mencionada em centenas de artigos. Aqui estão alguns deles:

UE proibirá três pesticidas mortais para abelhas por dois anos (R7)
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/ue-proibira-tres-pesticidas-mortais-para-abelhas-por-dois-anos-20130429.html

UE proíbe três pesticidas que matam as abelhas (Euronews)
http://pt.euronews.com/2013/04/29/ue-proibe-tres-pesticidas-que-matam-as-abelhas/

Estilistas britânicos fazem campanha para salvar abelhas (Último Segundo)
http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/2013-04-26/estilistas-britanicos-fazem-campanha-para-salvar-abelhas.html

Proibição de pesticidas procura acabar com massacre das abelhas (PressEurop)
http://www.presseurop.eu/pt/content/article/3735851-proibicao-de-pesticidas-procura-acabar-com-massacre-das-abelhas

Votacão histórica pela proibição dos pesticidas neonicotinoides causadores do declínio das populações de abelhas (em inglês) (The Independent)
http://www.independent.co.uk/news/uk/politics/historic-vote-to-ban-neonicotinoid-pesticides-blamed-for-huge-decline-in-bees-8591807.html

Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas!

Cara comunidade da Avaaz,

Conseguimos -- a Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas! Grandes empresas como a Bayer lutaram com toda força contra a proposta, mas o poder popular, a ciência e a boa governança foi mais forte!!

Morte das abelhas na Alemanha
Abelhas "morrem" em frente à sede da Bayer em Colônia, na Alemanha
Vanessa Amaral-Rogers, da organização especializada em conservação, Buglife, disse:
"Foi um voto apertado, mas graças à enorme mobilização dos membros da Avaaz, criadores de abelhas e outros grupos, nós vencemos! Não tenho dúvidas sobre o quanto as enchentes de telefonemas e emails enviados aos ministérios, as ações presenciais em Londres (Reino Unido), Bruxelas (Bélgica) e em Colônia (Alemanha), e a gigante petição com 2.6 milhões de assinaturas foram responsáveis por esse resultado. Obrigado Avaaz e a todos que trabalharam tão arduamente para salvar as abelhas!"
As abelhas são responsáveis por polinizar ⅔ de todos os nossos alimentos. Por isso, quando os cientistas começaram a notar que, silenciosamente, as abelhas morriam em proporções aterrorizantes, a Avaaz entrou com tudo, e não parou até alcançar uma vitória. A vitória dessa semana é fruto de dois anos de campanhas que começaram com o envio de mensagens para ministros de governos, organização de protestos para chamar a atenção da mídia junto com criadores de abelhas, comissionamento de pesquisas de opinião e muito, muito mais. Foi assim que fizemos, juntos:
  • Assegurando a posição da França. Em janeiro de 2011, 1 milhão de pessoas assinaram nosso pedido para a França fazer valer a lei sobre o banimento de pesticidas neonicotinoides mortais. Membros da Avaaz participaram, junto com criadores de abelhas, de uma reunião com o Ministro da Agricultura francês, irradiando força e pressionando-o para que ele não se intimidasse pelo lobby da indústria e mantivesse a proibição aos pesticidas, assim enviando um forte sinal para outros países europeus.

  • Bernie em Bruxelas
    Bernie, a abelha gigante infável, ajudou na entrega de nossa petição com 2.6 mihões de assinaturas em Bruxelas
  • Cara à cara com a indústria. Bayer viu a Avaaz e seus aliados protestarem ferozmente nos últimos 3 encontros anuais da empresa. Os gerentes e investidores da gigante produtora de pesticidas foram recebidos pelos criadores de abelhas, que faziam bastante barulho e carregavam banners enormes mostrando nossa petição de mais de 1 milhão de assinaturas; a petição exigia a suspensão do uso dos neonicotinoides até que os seus efeitos na natureza fossem avaliados pelos cientistas. A Avaaz até mesmo fez uma apresentação dentro do encontro dos investidores, mas a Bayer insistiu no 'não'.

  • Destacando a importância da ciência. Em janeiro de 2013, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos descobriu três pesticidas que colocavam as abelhas em risco. Foi aí que entramos novamente, buscando garantir que os políticos europeus respondessem ao apelo dos cientistas. Nossa petição cresceu rapidamente e chegou a 2 milhões de assinaturas. Após várias conversas com tomadores de decisão da União Europeia, a Avaaz entregou as nossas vozes à sede da UE em Bruxelas. Logo depois, naquele mesmo dia, a Comissão Europeia propôs uma proibição de 2 anos aos pesticidas!

  • Marcha dos criadores de abelha
    Criadores de abelhas ajudam a entregar nossa enorme petição em Downing Street, Londres
  • Aproveitando a oportunidade. A batalha para salvar as abelhas pegou fogo nos meses de fevereiro e março. Em toda União Europeia, membros da Avaaz estavam prontos para dar uma resposta enquanto os 27 membros da UE decidiam se aceitariam ou não a proposta de proibição dos pesticidas. Quando grandes países agricultores como Reino Unido e Alemanha disseram 'não', a Avaaz conduziu pesquisas de opinião pública que mostraram que a maioria dos britânicos e dos alemães eram a favor da proposta de proibição. Além disso, membros da Avaaz enviaram meio milhão de emails para os Ministros da Agricultura dos países do bloco europeu. Aparentemente temendo mais os cidadãos do que o lobby da indústria, o ministro do Reino Unido, Owen Paterson, queixou-se de um "ciber-ataque", algo que os jornalistas trataram como uma história a nosso favor! E então veio o Bernie, nossa abelha inflável de 6 metros de altura situada em Bruxelas. Uma forma bem criativa de entregar a petição, enquanto as negociações chegavam na reta final. Os jornalistas cercavam o Bernie, e descobrimos que nossa atuação ajudou a garantir que o ministro espanhol olhasse com mais atenção para a ciência e mudasse o seu posicionamento acerca do tema para proteger as abelhas. Mas nesse dia não conseguimos a maioria necessária para assegurar a proibição.

  • Bernie no The Independent
    Bernie ganha destaque no jornal britânico The Independent
  • Do alerta vermelho para o sinal verde. Em abril, a proposta que poderia salvar as abelhas é enviada ao Comitê de Recursos, dando-nos um raio de esperança se finalmente conseguíssemos trazer mais alguns países-membros para o nosso lado. Na reta final, a Avaaz junta-se à outros grupos como a Environmental Justice Foundation, Amigos da Terra e a Pesticides Action Network, além dos criadores de abelha e estilistas famosas, para organizar uma ação do lado de fora do Parlamento do Reuno Unido. Na Alemanha, os criadores de abelha lançam sua própria petição no site da Avaaz direcionada ao governo, e 150.000 cidadãos alemães juntam-se à campanha em apenas dois dias; pouco depois as assinaturas são entregues em Colônia. Mais telefonemas são feitos para os gabinetes de ministros em diferentes capitais europeias, enquanto a Avaaz respondia a uma emenda destruidora feita pela Hungria no acordo de proibição e posicionava Bernie, a abelha, novamente em uma ação em Bruxelas. As empresas de pesticidas compraram espaços de publicidade no aeroporto de Bruxelas para chamar a atenção das comitivas diplomáticas, e aumentaram a pressão sugerindo propostas como a plantação de flores selvagens. Mas a máquina de propaganda deles é ignorada. Primeiro foi a Bulgária que mudou de posição. Depois, veio a grande vitória: a Alemanha muda de ideia a favor das abelhas e carimba nossa vitória. Mais da metade dos países da União Europeia votaram pela proibição dos pesticidas!
Conseguir essa vitória foi um processo longo, e isso não seria possível se não fosse a participação dos cientistas, especialistas, oficiais de governo, criadores de abelha e todos os nossos parceiros de campanha. Podemos ficar orgulhosos do que conseguimos fazer juntos!

Forte defensor das abelhas, Paul de Zylva, chefe da Unidade de Polinização e Pesticida da organização Amigos da Terra, disse:
"Obrigado aos milhões de membros da Avaaz que se mobilizaram online e nas ruas. Sem dúvida, a enorme petição e as campanhas criativas da Avaaz ajudaram a pressionar pela proibição dos pesticidas, complementando o nosso trabalho e o de outras ONGs."
Chegou a hora de festejar a conquista desse espaço para uma das criaturas mais importantes e preciosas de nosso planeta. Entretanto, a proibição da UE durará apenas dois anos até ser revisada. E, ao redor do mundo, as abelhas continuam a morrer por causa dos pesticidas que as enfraquecem e deixam-nas confusas, além da perda de seu habitat natural causada pela expansão das cidades. Na Europa, e ao redor do mundo, há ainda muito o que fazer para garantir que a ciência seja a condutora das nossas políticas agrícolas e ambientais. E somos a comunidade perfeita para tornar isso realidade. :)

Com esperança e alegria,

Ricken, Iain, Joseph, Emily, Alex, Michelle, Aldine, Julien, Anne, Christoph e toda a equipe da Avaaz

PS: Vamos continuar nossa luta -- ajude-nos a lançar campanhas rápidas e de impacto sobre questões que são importantes para todos nós: https://secure.avaaz.org/po/bees_victory/?byoYAbb&v=24680

PPS: Muitas das campanhas da Avaaz, como a campanha criada por um criador de abelhas alemão, foram iniciadas por indivíduos ou grupos de indivíduos. Clique aqui para descobrir como começar sua própria campanha: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?rba13

FONTES

A campanha das abelhas, e o papel da Avaaz nesse processo, foi mencionada em centenas de artigos. Aqui estão alguns deles:

UE proibirá três pesticidas mortais para abelhas por dois anos (R7)
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/ue-proibira-tres-pesticidas-mortais-para-abelhas-por-dois-anos-20130429.html

UE proíbe três pesticidas que matam as abelhas (Euronews)
http://pt.euronews.com/2013/04/29/ue-proibe-tres-pesticidas-que-matam-as-abelhas/

Estilistas britânicos fazem campanha para salvar abelhas (Último Segundo)
http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/2013-04-26/estilistas-britanicos-fazem-campanha-para-salvar-abelhas.html

Proibição de pesticidas procura acabar com massacre das abelhas (PressEurop)
http://www.presseurop.eu/pt/content/article/3735851-proibicao-de-pesticidas-procura-acabar-com-massacre-das-abelhas

Votacão histórica pela proibição dos pesticidas neonicotinoides causadores do declínio das populações de abelhas (em inglês) (The Independent)
http://www.independent.co.uk/news/uk/politics/historic-vote-to-ban-neonicotinoid-pesticides-blamed-for-huge-decline-in-bees-8591807.html

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

http://www.blogfolha.com/?p=62848

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

04 de outubro, 2012



De acordo com o relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, sob a responsabilidade da Secretaria de Atenção à Saúde, duas cidades de Pernambuco sofreram perda de parte das verbas por causa de irregularidades com o Programa de Saúde da Família e Saúde Básica – São João, uma cidadezinha de 40 mil habitantes, e Petrolina.
Como o Ministério faz, a cada ano, um relatório de gestão da Saúde dos municípios é publicado, detalhando a avaliação feita do ano anterior. Neste caso, foi analisado e punido pelo governo federal o modo como o Programa de Saúde da Família e a Saúde Básica funcionaram em Petrolina, no ano de 2011.
Petrolina e São João sofreram a medida de suspensão dos incentivos financeiros em razão de irregularidades apontadas pelos 29º e 30º Sorteios Públicos realizados pela Controladoria-Geral da União, mas que não foram regularizadas ao longo de 2010 e 2011.
Os consultores designados para analisar o estado de Pernambuco foram Aline Costa, Rose Delgado, Jane Curbane, Liliana da Escóssia, AlyneLima – todos pertencentes ao Ministério da Saúde.
No relatório, é dito que equipes tiveram os dados de seus profissionais em algum momento duplicados, equipes inexistentes ou incompletas, descumprimento da jornada de trabalho obrigatória e impropriedades no preenchimento dos formulários de atendimento que foram enviados ao Ministério da Saúde.
O relatório mostra ainda que , em alguns casos, os problemas são reincidentes de 2010, observados em dados da CGU, relacionados aos sorteios citados acima- razão que levou à suspensão de parte das verbas para Petrolina.
O relatório divulgado pelo Ministério da Saúde bate com as denúncias feitas, em dezembro do ano passado, pela presidente do Conselho Municipal de Saúde,Luciana Mendes.
Na época, ela dizia que houve “Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que o prefeito Julio Lóssio e a secretária de Saúde, Lucia Giesta estavam descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade.”
Disse ainda que a estratégia de Saúde da Família estava sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população estava perdendo o princípio da integralidade, o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
“Como pode um gestor que é medico desrespeitar uma conquista tão grande para todo o país como é o PSF”, criticou.
Na época, o prefeito se referiu às denúncias como sendo apenas futricas políticas. No entanto, agora, o Ministério da Saúde mostra, em seu relatório, que a presidente tinha razão.
CLIQUE NO ‘LEIA MAIS’ E LEIA A ENTREVISTA FEITA NA ÉPOCA DA DENÚNCIA, COM A PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE:
Na época da denúncia, um grupo de enfermeiros e enfermeiras que trabalham com o Programa Sáude da Família (PSF) foram vestidos de preto a uma inaugiração de AME para protestar contra o modo como o PSF estava sendo trabalhado.


Folha: Em que consiste o protesto nesta noite em que se inaugura a Ame da Vila Eduardo?O que está acontecendo na Saúde Pública de Petrolina?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que foi construído historicamente, e teve pessoas que morreram por isso na reforma sanitária, que lutaram po uma saúde de qualidade.
E hoje, o gestor da Saúde de Petrolina está descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade
A estratégia de Saúde da Família, que é uma estratégia construída pela sociedade brasileira, estabelecida no Brasil inteiro, hoje está sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população vai perder o princípio da integralidade, vai perder o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
Ele quer que o profissional generalista , que é para atender a todos os segmentos da sociedade- homem, mulher, criança, idoso, agora se detenha a apenas um segmento da população como especialista.
Isso não foi discutido com os profissionais, não foi discutido com a população.
O gestor diz que a Saúde da Família não funciona.
A Saúde da Família mudou o panorama da Saúde no Brasil e tem mudado a cada dia, desde que seja investido nela, desde que a gestão da Saúde tenha responsabilidade. Mas aqui em Petrolina tem havido uma total falta de responsabilidade desses gestores.
Folha: O Conselho já procurou a Prefeitura para discutir o assunto?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Eles não estão disposto a abrir mão da ideia de que o Programa Saúde da Família não funciona. Eles não estão dispostos a investir na Saúde da Família. Eles estão dispostos a investir em tinta de parede e tijolos, como se isso resolvesse o problema de saúde em Petrolina.
A presidente do Sindicato Estadual dos profissionais de Enfermagem , Vera Leite, veio de Recife, na última terça-feira(13), para conversar com a secretária de Saúde Lúcia Giesta, mas a secretária não a atendeu. Pediu que voltasse na semana que vem.
Quer dizer: mandou que a presidente voltasse para Recife e voltasse na semana que vem para ser atendida.
Desde o começo dessa gestão municipal, nós temos propostas para ajudar a melhorar a Saúde pública, mas não somos ouvidos.
Folha: O Conselho Municipal de Saúde já tomou alguma deliberação para reverter a situação?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho Municipal vai estudar detalhadamente esse projeto, porque o que eles enviaram ao Conselho não condiz com o que está sendo aplicado hoje, os profissionais de Saúde não concordam com o que está sendo aplicado.
E nós buscamos uma oportunidade para dizer à população que nós queremos continuar trabalhando com a Saúde da Família, porque esse sistema pode mudar a saúde de Petrolina, como vem mudando a do Brasil.
Já acionamos o Ministério da Saúde, já acionamos o Conselho Estadual de Saúde.
Folha: E quanto ao Convênio da Prefeitura com o Ministério da Saúde? Como a Prefeitura enviará os relatórios de atendimento do PSF, já que tem de cumprir os princípios do Programa?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O prefeito está pressionando os profissionais a preencher os formulários como se tivessem atendido de modo generalista. Quer dizer: o profissional atende só um segmento, tratando de uma especialidade: hipertensão, ou pré-natal,por exemplo, mas, no formulário, tem de colocar que atendeu a todos. O trabalho teria de ser feito por uma equipe , que seria um enfermeiro, um médico e um técnico de enfermagem. Mas querem nos restringir a uma ação exclusiva. Não foi para isso que eu estudei.
Hoje, no Dom Avelar, tem gente que anda 6 quilômetros para ser atendido. Quer dizer: essa centralização do atendimento prejudica a sociedade; não é isso que o Programa da Família prevê.
Folha: Então o Conselho Municipal só existe na teoria?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: É assim que a gestão atual tem tratado o Conselho. Inclusive, um documento assinado pela secretária de Saúde, Lúcia Giesta, pediu a minha cabeça ao Conselho. Pediu a minha destituição da presidência do Conselho, porque não concordo com esses caminhos que estão tomando.
Folha: E qual foi a resposta do Conselho?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho se reuniu e votou por minha permanência – foram 7 votos a meu favor, 2 contra e uma abstenção.
Folha: As denúncias que vocês fazem hoje já são de conhecimento de outros órgãos?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: As denúncias já foram constatadas em nível estadual e as instituições estão tomando as devidas providências.

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

http://www.blogfolha.com/?p=62848

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

04 de outubro, 2012



De acordo com o relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, sob a responsabilidade da Secretaria de Atenção à Saúde, duas cidades de Pernambuco sofreram perda de parte das verbas por causa de irregularidades com o Programa de Saúde da Família e Saúde Básica – São João, uma cidadezinha de 40 mil habitantes, e Petrolina.
Como o Ministério faz, a cada ano, um relatório de gestão da Saúde dos municípios é publicado, detalhando a avaliação feita do ano anterior. Neste caso, foi analisado e punido pelo governo federal o modo como o Programa de Saúde da Família e a Saúde Básica funcionaram em Petrolina, no ano de 2011.
Petrolina e São João sofreram a medida de suspensão dos incentivos financeiros em razão de irregularidades apontadas pelos 29º e 30º Sorteios Públicos realizados pela Controladoria-Geral da União, mas que não foram regularizadas ao longo de 2010 e 2011.
Os consultores designados para analisar o estado de Pernambuco foram Aline Costa, Rose Delgado, Jane Curbane, Liliana da Escóssia, AlyneLima – todos pertencentes ao Ministério da Saúde.
No relatório, é dito que equipes tiveram os dados de seus profissionais em algum momento duplicados, equipes inexistentes ou incompletas, descumprimento da jornada de trabalho obrigatória e impropriedades no preenchimento dos formulários de atendimento que foram enviados ao Ministério da Saúde.
O relatório mostra ainda que , em alguns casos, os problemas são reincidentes de 2010, observados em dados da CGU, relacionados aos sorteios citados acima- razão que levou à suspensão de parte das verbas para Petrolina.
O relatório divulgado pelo Ministério da Saúde bate com as denúncias feitas, em dezembro do ano passado, pela presidente do Conselho Municipal de Saúde,Luciana Mendes.
Na época, ela dizia que houve “Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que o prefeito Julio Lóssio e a secretária de Saúde, Lucia Giesta estavam descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade.”
Disse ainda que a estratégia de Saúde da Família estava sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população estava perdendo o princípio da integralidade, o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
“Como pode um gestor que é medico desrespeitar uma conquista tão grande para todo o país como é o PSF”, criticou.
Na época, o prefeito se referiu às denúncias como sendo apenas futricas políticas. No entanto, agora, o Ministério da Saúde mostra, em seu relatório, que a presidente tinha razão.
CLIQUE NO ‘LEIA MAIS’ E LEIA A ENTREVISTA FEITA NA ÉPOCA DA DENÚNCIA, COM A PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE:
Na época da denúncia, um grupo de enfermeiros e enfermeiras que trabalham com o Programa Sáude da Família (PSF) foram vestidos de preto a uma inaugiração de AME para protestar contra o modo como o PSF estava sendo trabalhado.


Folha: Em que consiste o protesto nesta noite em que se inaugura a Ame da Vila Eduardo?O que está acontecendo na Saúde Pública de Petrolina?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que foi construído historicamente, e teve pessoas que morreram por isso na reforma sanitária, que lutaram po uma saúde de qualidade.
E hoje, o gestor da Saúde de Petrolina está descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade
A estratégia de Saúde da Família, que é uma estratégia construída pela sociedade brasileira, estabelecida no Brasil inteiro, hoje está sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população vai perder o princípio da integralidade, vai perder o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
Ele quer que o profissional generalista , que é para atender a todos os segmentos da sociedade- homem, mulher, criança, idoso, agora se detenha a apenas um segmento da população como especialista.
Isso não foi discutido com os profissionais, não foi discutido com a população.
O gestor diz que a Saúde da Família não funciona.
A Saúde da Família mudou o panorama da Saúde no Brasil e tem mudado a cada dia, desde que seja investido nela, desde que a gestão da Saúde tenha responsabilidade. Mas aqui em Petrolina tem havido uma total falta de responsabilidade desses gestores.
Folha: O Conselho já procurou a Prefeitura para discutir o assunto?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Eles não estão disposto a abrir mão da ideia de que o Programa Saúde da Família não funciona. Eles não estão dispostos a investir na Saúde da Família. Eles estão dispostos a investir em tinta de parede e tijolos, como se isso resolvesse o problema de saúde em Petrolina.
A presidente do Sindicato Estadual dos profissionais de Enfermagem , Vera Leite, veio de Recife, na última terça-feira(13), para conversar com a secretária de Saúde Lúcia Giesta, mas a secretária não a atendeu. Pediu que voltasse na semana que vem.
Quer dizer: mandou que a presidente voltasse para Recife e voltasse na semana que vem para ser atendida.
Desde o começo dessa gestão municipal, nós temos propostas para ajudar a melhorar a Saúde pública, mas não somos ouvidos.
Folha: O Conselho Municipal de Saúde já tomou alguma deliberação para reverter a situação?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho Municipal vai estudar detalhadamente esse projeto, porque o que eles enviaram ao Conselho não condiz com o que está sendo aplicado hoje, os profissionais de Saúde não concordam com o que está sendo aplicado.
E nós buscamos uma oportunidade para dizer à população que nós queremos continuar trabalhando com a Saúde da Família, porque esse sistema pode mudar a saúde de Petrolina, como vem mudando a do Brasil.
Já acionamos o Ministério da Saúde, já acionamos o Conselho Estadual de Saúde.
Folha: E quanto ao Convênio da Prefeitura com o Ministério da Saúde? Como a Prefeitura enviará os relatórios de atendimento do PSF, já que tem de cumprir os princípios do Programa?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O prefeito está pressionando os profissionais a preencher os formulários como se tivessem atendido de modo generalista. Quer dizer: o profissional atende só um segmento, tratando de uma especialidade: hipertensão, ou pré-natal,por exemplo, mas, no formulário, tem de colocar que atendeu a todos. O trabalho teria de ser feito por uma equipe , que seria um enfermeiro, um médico e um técnico de enfermagem. Mas querem nos restringir a uma ação exclusiva. Não foi para isso que eu estudei.
Hoje, no Dom Avelar, tem gente que anda 6 quilômetros para ser atendido. Quer dizer: essa centralização do atendimento prejudica a sociedade; não é isso que o Programa da Família prevê.
Folha: Então o Conselho Municipal só existe na teoria?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: É assim que a gestão atual tem tratado o Conselho. Inclusive, um documento assinado pela secretária de Saúde, Lúcia Giesta, pediu a minha cabeça ao Conselho. Pediu a minha destituição da presidência do Conselho, porque não concordo com esses caminhos que estão tomando.
Folha: E qual foi a resposta do Conselho?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho se reuniu e votou por minha permanência – foram 7 votos a meu favor, 2 contra e uma abstenção.
Folha: As denúncias que vocês fazem hoje já são de conhecimento de outros órgãos?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: As denúncias já foram constatadas em nível estadual e as instituições estão tomando as devidas providências.

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

http://www.blogfolha.com/?p=62848

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

04 de outubro, 2012



De acordo com o relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, sob a responsabilidade da Secretaria de Atenção à Saúde, duas cidades de Pernambuco sofreram perda de parte das verbas por causa de irregularidades com o Programa de Saúde da Família e Saúde Básica – São João, uma cidadezinha de 40 mil habitantes, e Petrolina.
Como o Ministério faz, a cada ano, um relatório de gestão da Saúde dos municípios é publicado, detalhando a avaliação feita do ano anterior. Neste caso, foi analisado e punido pelo governo federal o modo como o Programa de Saúde da Família e a Saúde Básica funcionaram em Petrolina, no ano de 2011.
Petrolina e São João sofreram a medida de suspensão dos incentivos financeiros em razão de irregularidades apontadas pelos 29º e 30º Sorteios Públicos realizados pela Controladoria-Geral da União, mas que não foram regularizadas ao longo de 2010 e 2011.
Os consultores designados para analisar o estado de Pernambuco foram Aline Costa, Rose Delgado, Jane Curbane, Liliana da Escóssia, AlyneLima – todos pertencentes ao Ministério da Saúde.
No relatório, é dito que equipes tiveram os dados de seus profissionais em algum momento duplicados, equipes inexistentes ou incompletas, descumprimento da jornada de trabalho obrigatória e impropriedades no preenchimento dos formulários de atendimento que foram enviados ao Ministério da Saúde.
O relatório mostra ainda que , em alguns casos, os problemas são reincidentes de 2010, observados em dados da CGU, relacionados aos sorteios citados acima- razão que levou à suspensão de parte das verbas para Petrolina.
O relatório divulgado pelo Ministério da Saúde bate com as denúncias feitas, em dezembro do ano passado, pela presidente do Conselho Municipal de Saúde,Luciana Mendes.
Na época, ela dizia que houve “Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que o prefeito Julio Lóssio e a secretária de Saúde, Lucia Giesta estavam descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade.”
Disse ainda que a estratégia de Saúde da Família estava sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população estava perdendo o princípio da integralidade, o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
“Como pode um gestor que é medico desrespeitar uma conquista tão grande para todo o país como é o PSF”, criticou.
Na época, o prefeito se referiu às denúncias como sendo apenas futricas políticas. No entanto, agora, o Ministério da Saúde mostra, em seu relatório, que a presidente tinha razão.
CLIQUE NO ‘LEIA MAIS’ E LEIA A ENTREVISTA FEITA NA ÉPOCA DA DENÚNCIA, COM A PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE:
Na época da denúncia, um grupo de enfermeiros e enfermeiras que trabalham com o Programa Sáude da Família (PSF) foram vestidos de preto a uma inaugiração de AME para protestar contra o modo como o PSF estava sendo trabalhado.


Folha: Em que consiste o protesto nesta noite em que se inaugura a Ame da Vila Eduardo?O que está acontecendo na Saúde Pública de Petrolina?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que foi construído historicamente, e teve pessoas que morreram por isso na reforma sanitária, que lutaram po uma saúde de qualidade.
E hoje, o gestor da Saúde de Petrolina está descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade
A estratégia de Saúde da Família, que é uma estratégia construída pela sociedade brasileira, estabelecida no Brasil inteiro, hoje está sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população vai perder o princípio da integralidade, vai perder o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
Ele quer que o profissional generalista , que é para atender a todos os segmentos da sociedade- homem, mulher, criança, idoso, agora se detenha a apenas um segmento da população como especialista.
Isso não foi discutido com os profissionais, não foi discutido com a população.
O gestor diz que a Saúde da Família não funciona.
A Saúde da Família mudou o panorama da Saúde no Brasil e tem mudado a cada dia, desde que seja investido nela, desde que a gestão da Saúde tenha responsabilidade. Mas aqui em Petrolina tem havido uma total falta de responsabilidade desses gestores.
Folha: O Conselho já procurou a Prefeitura para discutir o assunto?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Eles não estão disposto a abrir mão da ideia de que o Programa Saúde da Família não funciona. Eles não estão dispostos a investir na Saúde da Família. Eles estão dispostos a investir em tinta de parede e tijolos, como se isso resolvesse o problema de saúde em Petrolina.
A presidente do Sindicato Estadual dos profissionais de Enfermagem , Vera Leite, veio de Recife, na última terça-feira(13), para conversar com a secretária de Saúde Lúcia Giesta, mas a secretária não a atendeu. Pediu que voltasse na semana que vem.
Quer dizer: mandou que a presidente voltasse para Recife e voltasse na semana que vem para ser atendida.
Desde o começo dessa gestão municipal, nós temos propostas para ajudar a melhorar a Saúde pública, mas não somos ouvidos.
Folha: O Conselho Municipal de Saúde já tomou alguma deliberação para reverter a situação?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho Municipal vai estudar detalhadamente esse projeto, porque o que eles enviaram ao Conselho não condiz com o que está sendo aplicado hoje, os profissionais de Saúde não concordam com o que está sendo aplicado.
E nós buscamos uma oportunidade para dizer à população que nós queremos continuar trabalhando com a Saúde da Família, porque esse sistema pode mudar a saúde de Petrolina, como vem mudando a do Brasil.
Já acionamos o Ministério da Saúde, já acionamos o Conselho Estadual de Saúde.
Folha: E quanto ao Convênio da Prefeitura com o Ministério da Saúde? Como a Prefeitura enviará os relatórios de atendimento do PSF, já que tem de cumprir os princípios do Programa?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O prefeito está pressionando os profissionais a preencher os formulários como se tivessem atendido de modo generalista. Quer dizer: o profissional atende só um segmento, tratando de uma especialidade: hipertensão, ou pré-natal,por exemplo, mas, no formulário, tem de colocar que atendeu a todos. O trabalho teria de ser feito por uma equipe , que seria um enfermeiro, um médico e um técnico de enfermagem. Mas querem nos restringir a uma ação exclusiva. Não foi para isso que eu estudei.
Hoje, no Dom Avelar, tem gente que anda 6 quilômetros para ser atendido. Quer dizer: essa centralização do atendimento prejudica a sociedade; não é isso que o Programa da Família prevê.
Folha: Então o Conselho Municipal só existe na teoria?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: É assim que a gestão atual tem tratado o Conselho. Inclusive, um documento assinado pela secretária de Saúde, Lúcia Giesta, pediu a minha cabeça ao Conselho. Pediu a minha destituição da presidência do Conselho, porque não concordo com esses caminhos que estão tomando.
Folha: E qual foi a resposta do Conselho?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho se reuniu e votou por minha permanência – foram 7 votos a meu favor, 2 contra e uma abstenção.
Folha: As denúncias que vocês fazem hoje já são de conhecimento de outros órgãos?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: As denúncias já foram constatadas em nível estadual e as instituições estão tomando as devidas providências.

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

http://www.blogfolha.com/?p=62848

Ministério da Saúde pune Petrolina e tira verbas do PSF e da Sáude Básica por irregularidades “reincidentes”

04 de outubro, 2012



De acordo com o relatório divulgado pelo Ministério da Saúde, sob a responsabilidade da Secretaria de Atenção à Saúde, duas cidades de Pernambuco sofreram perda de parte das verbas por causa de irregularidades com o Programa de Saúde da Família e Saúde Básica – São João, uma cidadezinha de 40 mil habitantes, e Petrolina.
Como o Ministério faz, a cada ano, um relatório de gestão da Saúde dos municípios é publicado, detalhando a avaliação feita do ano anterior. Neste caso, foi analisado e punido pelo governo federal o modo como o Programa de Saúde da Família e a Saúde Básica funcionaram em Petrolina, no ano de 2011.
Petrolina e São João sofreram a medida de suspensão dos incentivos financeiros em razão de irregularidades apontadas pelos 29º e 30º Sorteios Públicos realizados pela Controladoria-Geral da União, mas que não foram regularizadas ao longo de 2010 e 2011.
Os consultores designados para analisar o estado de Pernambuco foram Aline Costa, Rose Delgado, Jane Curbane, Liliana da Escóssia, AlyneLima – todos pertencentes ao Ministério da Saúde.
No relatório, é dito que equipes tiveram os dados de seus profissionais em algum momento duplicados, equipes inexistentes ou incompletas, descumprimento da jornada de trabalho obrigatória e impropriedades no preenchimento dos formulários de atendimento que foram enviados ao Ministério da Saúde.
O relatório mostra ainda que , em alguns casos, os problemas são reincidentes de 2010, observados em dados da CGU, relacionados aos sorteios citados acima- razão que levou à suspensão de parte das verbas para Petrolina.
O relatório divulgado pelo Ministério da Saúde bate com as denúncias feitas, em dezembro do ano passado, pela presidente do Conselho Municipal de Saúde,Luciana Mendes.
Na época, ela dizia que houve “Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que o prefeito Julio Lóssio e a secretária de Saúde, Lucia Giesta estavam descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade.”
Disse ainda que a estratégia de Saúde da Família estava sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população estava perdendo o princípio da integralidade, o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
“Como pode um gestor que é medico desrespeitar uma conquista tão grande para todo o país como é o PSF”, criticou.
Na época, o prefeito se referiu às denúncias como sendo apenas futricas políticas. No entanto, agora, o Ministério da Saúde mostra, em seu relatório, que a presidente tinha razão.
CLIQUE NO ‘LEIA MAIS’ E LEIA A ENTREVISTA FEITA NA ÉPOCA DA DENÚNCIA, COM A PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE:
Na época da denúncia, um grupo de enfermeiros e enfermeiras que trabalham com o Programa Sáude da Família (PSF) foram vestidos de preto a uma inaugiração de AME para protestar contra o modo como o PSF estava sendo trabalhado.


Folha: Em que consiste o protesto nesta noite em que se inaugura a Ame da Vila Eduardo?O que está acontecendo na Saúde Pública de Petrolina?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Um desmonte de toda política de saúde do SUS, que foi construído historicamente, e teve pessoas que morreram por isso na reforma sanitária, que lutaram po uma saúde de qualidade.
E hoje, o gestor da Saúde de Petrolina está descumprindo todos os princípios estabelecidos pelo SUS – de participação popular, de participação da comunidade
A estratégia de Saúde da Família, que é uma estratégia construída pela sociedade brasileira, estabelecida no Brasil inteiro, hoje está sofrendo um desvio de atenção, uma agressão, porque a população vai perder o princípio da integralidade, vai perder o princípio da universalidade, porque o gestor da saúde em Petrolina quer que o profissional, hoje, atenda só um segmento da população.
Ele quer que o profissional generalista , que é para atender a todos os segmentos da sociedade- homem, mulher, criança, idoso, agora se detenha a apenas um segmento da população como especialista.
Isso não foi discutido com os profissionais, não foi discutido com a população.
O gestor diz que a Saúde da Família não funciona.
A Saúde da Família mudou o panorama da Saúde no Brasil e tem mudado a cada dia, desde que seja investido nela, desde que a gestão da Saúde tenha responsabilidade. Mas aqui em Petrolina tem havido uma total falta de responsabilidade desses gestores.
Folha: O Conselho já procurou a Prefeitura para discutir o assunto?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: Eles não estão disposto a abrir mão da ideia de que o Programa Saúde da Família não funciona. Eles não estão dispostos a investir na Saúde da Família. Eles estão dispostos a investir em tinta de parede e tijolos, como se isso resolvesse o problema de saúde em Petrolina.
A presidente do Sindicato Estadual dos profissionais de Enfermagem , Vera Leite, veio de Recife, na última terça-feira(13), para conversar com a secretária de Saúde Lúcia Giesta, mas a secretária não a atendeu. Pediu que voltasse na semana que vem.
Quer dizer: mandou que a presidente voltasse para Recife e voltasse na semana que vem para ser atendida.
Desde o começo dessa gestão municipal, nós temos propostas para ajudar a melhorar a Saúde pública, mas não somos ouvidos.
Folha: O Conselho Municipal de Saúde já tomou alguma deliberação para reverter a situação?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho Municipal vai estudar detalhadamente esse projeto, porque o que eles enviaram ao Conselho não condiz com o que está sendo aplicado hoje, os profissionais de Saúde não concordam com o que está sendo aplicado.
E nós buscamos uma oportunidade para dizer à população que nós queremos continuar trabalhando com a Saúde da Família, porque esse sistema pode mudar a saúde de Petrolina, como vem mudando a do Brasil.
Já acionamos o Ministério da Saúde, já acionamos o Conselho Estadual de Saúde.
Folha: E quanto ao Convênio da Prefeitura com o Ministério da Saúde? Como a Prefeitura enviará os relatórios de atendimento do PSF, já que tem de cumprir os princípios do Programa?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O prefeito está pressionando os profissionais a preencher os formulários como se tivessem atendido de modo generalista. Quer dizer: o profissional atende só um segmento, tratando de uma especialidade: hipertensão, ou pré-natal,por exemplo, mas, no formulário, tem de colocar que atendeu a todos. O trabalho teria de ser feito por uma equipe , que seria um enfermeiro, um médico e um técnico de enfermagem. Mas querem nos restringir a uma ação exclusiva. Não foi para isso que eu estudei.
Hoje, no Dom Avelar, tem gente que anda 6 quilômetros para ser atendido. Quer dizer: essa centralização do atendimento prejudica a sociedade; não é isso que o Programa da Família prevê.
Folha: Então o Conselho Municipal só existe na teoria?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: É assim que a gestão atual tem tratado o Conselho. Inclusive, um documento assinado pela secretária de Saúde, Lúcia Giesta, pediu a minha cabeça ao Conselho. Pediu a minha destituição da presidência do Conselho, porque não concordo com esses caminhos que estão tomando.
Folha: E qual foi a resposta do Conselho?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: O Conselho se reuniu e votou por minha permanência – foram 7 votos a meu favor, 2 contra e uma abstenção.
Folha: As denúncias que vocês fazem hoje já são de conhecimento de outros órgãos?
Presidente do Conselho Municipal de Saúde: As denúncias já foram constatadas em nível estadual e as instituições estão tomando as devidas providências.